Pular para o conteúdo principal

Depressão pós parto e rede de apoio

Depressão pós parto é um tema polêmico, mas mesmo após tantos artigos e debates, continua sendo um tabu para a maioria das pessoas.
Precisamos falar sobre depressão. Eu tive, algumas pessoas próximas tiveram e não, não é nada legal.
Segundo uma pesquisa da Fiocruz, 1 a cada 4 mães brasileiras tem depressão pós parto, e pasmem, as famílias ainda estão longe de conseguir identificar os sintomas, levar a doença a sério e buscar ajuda para essas mulheres.
Quando a Cecília nasceu eu tinha uma verdadeira rede de apoio. Pela manhã tinha o pai dela, meu ex marido, durante a tarde tinha minha adorável sogra (pessoa por quem sou imensamente grata até hoje) e à noite minha mãe era quem me ajudava e muitas vezes até dormia na minha casa.
Não eram pessoas para me ajudar a cuidar do bebê, eram pessoas que me ajudavam a não pirar. Me lembravam de tomar vitaminas, olhavam o bebê para eu tomar banho ou tirar uma soneca, cozinhavam, saíam para comprar coisas, tiravam o lixo para fora e o principal, conversavam comigo sobre as dificuldades da maternidade.
Falar sobre as dificuldades, por mais simples ou absurdas que sejam e ter a sensação de ser ouvida foi o que mais me ajudou nesta fase. Pessoas palpiteiras e negativas são o precisamos evitar no puerpério.Qual a recém mãe que nunca chorou depois que uma visita inconveniente foi embora?
Outra dica é falar a verdade sobre o que sente, e se as pessoas se incomodarem com o que disse se limite a apenas pedir que respeitem sua posição; eu por exemplo detestava quando as pessoas pediam para pegar minha filha no colo e passei a simplesmente dizer NÃO. Minha cria era prematura, não dormia bem, não mamava bem e o pouco tempo que ela dormia era sempre no meu colo sentindo o calor do meu corpo, os movimentos da minha respiração e o som dos meu batimentos cardíacos. Por que meu Deus alguém sente necessidade de quebrar este momento???
A mãe com DPP precisa tomar sol, fazer caminhadas curtas e, se necessário, fazer complementação com vitaminas do complexo B (se continuar tomando a vitamina do pré natal já é suficiente). Se você não é puérpera mas conhece alguém que esteja passando por um problema parecido, seja você a apoiadora. Abaixo deixo uma lista de dicas para se tornar parte da rede de apoio de alguém que você ama.




Comentários

Mais visitados

Quarto Montessoriano para Recém Nascidos

Para ler, decorar e recitar: Aninha e suas pedras - Cora Coralina